advaita Yoga Advaita

Yoga Advaita, o Não-Dualismo
Experiências Espirituais de Sri Mard Advaita
Trecho do livro
YOGA ADVAITA, de Sri Mard Advaita
 
"As minhas primeiras experiências espirituais com a Mente Cósmica começaram por volta dos dez anos de idade. Logo eu descobri que aqueles acontecimentos não eram normais. Percebi que o mesmo não acontecia com as outras pessoas. Então aprendi a me calar. Ficar em silêncio foi uma das primeiras lições que obtive sem ninguém me ensinar. Meus primeiros sentimentos de natureza não-dual foram uma forte intuição da presença de um Ser Anônimo em todas as coisas. Eu gostava de ficar nos fundos do quintal da minha casa, debaixo de uma mangueira onde havia sombra, mangas maduras caídas e muitas folhas secas. O local era bastante úmido. Diversos sabiás passavam o dia ali comendo os bichinhos que encontravam no chão. Deu-se então que minha mente ficou completamente concentrada nos olhos daquelas aves e começamos a manter um diálogo interno no qual eu tentava entender quem era aquele Ser que estava por trás dos passarinhos. Eu ficava olhando bem nos olhos daqueles passarinhos coloridos e belos, e posso me lembrar, 60 anos depois, como se fosse hoje, o efeito místico que aquela experiência causou em minha psique, a tal ponto que continuo me perguntando internamente quem seria o Ser que estava por trás daquelas avezinhas. Percebi que aqueles olhos que eu via não eram simplesmente os olhos dos pássaros, eram os olhos do Ser Anônimo, o qual fazia desabrochar dentro de mim uma consciência espiritual paralela com a minha consciência social. Transcendi, pela primeira vez, a percepção da forma e me religuei com a Consciência Cósmica. Nunca me esqueci daquele acontecimento pelo qual eu podia ver a vida oculta. Na verdade, eu não via os sabiás, via a Consciência através dos passarinhos. Da mesma forma que eu era total atenção querendo entender quem era o Ser que estava por trás dos sabiás, percebia que aquela Consciência tentava entender quem era eu. Foi exatamente dessa maneira e no quintal da minha casa que eu comecei a contemplar a Vida Uma e a concentrar minha atenção no momento presente. O sabiá tinha um olhar que me fascinava e despertava em minha mente a sutileza da percepção da Unidade da Vida. Na época, eu teria uns dez anos de idade e não entendia absolutamente nada de filosofia, porém conseguia ver além das formas e captava a presença de uma Consciência Cósmica. Foram experiências importantes do ponto de vista da minha iniciação porque eu nunca esqueci o detalhe daqueles passarinhos me perguntando com os olhos quem eu era ou tentando descobrir quem era o Ser que via através de mim. Eu percebia o Ser Divino me observando e, ao mesmo tempo, fazia a mesma indagação quanto ao Ser Oculto que me observava através dos olhos dos sabiás. Desde aquela data sempre fui surpreendido por uma sensação de que existe um Ser Único e Anônimo observando através das pessoas e coisas. Em alguns momentos especiais, quando conversava com alguma pessoa, por exemplo, entrava em um tipo de abstração no qual aquela personalidade desaparecia e eu percebia nitidamente que quem estava ali falando comigo era a Mente Cósmica. - Meu Deus, você não é uma pessoa, é o Espírito Divino! – Exclamava internamente e controlava minha emoção espiritual." Continue lendo... 

Advaita Yoga da Unidade da Vida

Leia também:

Autoconhecimento e Espiritualidade Advaita
Realidade e Desapego Advaita
Página Inicial
Advaita Yoga Filosofia  Yoga Advaita     Experiências Sri Mard     Realidade e Desapego     Autoconhecimento     Comprar Livro